CCHLA Conhecimento em Debate é aberto na UFPB com música e reflexão

Até sexta-feira serão apresentados quase mil trabalhos, palestras, conferências e atividades culturais

A partir de hoje (22) e até sexta-feira (26), quase mil trabalhos, entre palestras, debates, conferências e atividades culturais serão apresentados no IX CCHLA Conhecimento em Debate realizado pelo Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes da UFPB. O evento foi aberto oficialmente na manhã desta segunda-feira, com a presença de professores e alunos, que assistiram emocionados a uma homenagem ao músico e professor Radegundis Feitosa e à conferência do intelectual Chico de Oliveira.

“Esses quase mil trabalhos que serão apresentados durante esta semana demonstram a vitalidade do meio acadêmico do CCHLA. No evento, que é pluralista e crítico, serão contempladas todas as ciências sociais contemporâneas”, ressaltou a diretora do CCHLA, Aparecida Ramos. Ela ainda acrescentou a importância dos homenageados do Debate. “Radegundis Feitosa e Chico de Oliveira, esse evento é para vocês”, disse emocionada.

O vice-diretor do CCHLA e presidente da Comissão Organizadora do CCHLA Conhecimento em Debate, Ariosvaldo Diniz, ressaltou ainda que, neste ano, o evento está tendo um caráter além das fronteiras paraibanas. “Saímos do local para um caráter regional. No próximo ano, queremos ser um evento nacional”, afirmou.

“Gostaria de parabenizar a comissão organizadora do evento e a escolha dos homenageados, que foi muito feliz e oportuna”, disse o pró reitor de Graduação, Isaque Medeiros. Ele ainda acrescentou que o CCHLA sempre tem contribuído para o aumento da produção acadêmica de qualidade da universidade.

Compuseram a mesa de abertura oficial do evento, a diretora Aparecida Ramos, o vice-diretor Ariosvaldo Diniz, o Pró Reitor de Graduação, Isaque Almeida Medeiros, que representou o reitor Rômulo Polari, e o representante do Diretório Central dos Estudantes, Felipe Magalhães. O início da abertura foi marcado pela apresentação do coral Legato, formado por professores da UFPB.

Emoção na homenagem a Radegundis

Após os discursos da abertura oficial, o grupo Paraibones, formado por ex-alunos do professor Radegundis fez uma apresentação em homenagem ao músico considerado o maior trombonista do mundo. Foram escolhidas quatro músicas que Radegundis tinha mais prazer em tocar. “Essa é uma prova de que Radegundis ainda está vivo entre nós. Ele não apenas ensinou esses meninos a tocarem trombone, ele criou cidadãos”, ressaltou o maestro Carlos Anísio.








Ciências Sociais Hoje

A outra personalidade a ser homenageada pelo CCHLA em Debate foi o intelectual e cientista social, Chico de Oliveira. Pernambucano, é professor emérito da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP. Acompanhou os principais fatos da política contemporânea nacional, trabalhou na Sudene ao lado de Celso Furtado, assistiu ativamente a ascensão do PT e ajudou a fundar o PSOL.

Na conferência sobre “Humanidades Hoje”, fez uma reflexão sobre as ciências sociais e apresentou um retrato analítico do Brasil contemporâneo. De forma irônica e crítica, fez a platéia refletir e sorrir com seus posicionamentos polêmicos a respeito das ciências humanas e seus personagens mais atuantes.

“O intelectual não é uma profissão alegre. É a profissão do pessimista. Isto o torna incômodo e mal visto pelos governantes. Como dizia Sartre, ‘o intelectual é aquele que se mete onde não é chamado’”, afirmou. Em suas palavras finais, convidou alunos e professores a refletir. “Vocês estão em uma universidade. Sejam críticos. Sem o pensamento crítico o progresso torna-se barbárie”, finalizou.

Confira programação completa.