CCHLA cria o Departamento de Mediações Interculturais

No dia 04/02/2015 foi realizado no Centro de Ciências Humanas Letras e Artes (CCHLA) da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) a Reunião Constitutiva de Colegiado do Departamento de Mediações Interculturais. A reunião foi presidida pela Diretora do CCHLA, Professora Mônica Nóbrega, a qual parabenizou os professores pela aprovação do projeto de criação do Departamento (Processo 23074.037536/2014-26) em todas as instâncias da UFPB, culminando com a Resolução CONSUNI 34/2014 de 12/12/2014. A diretora desejou, ainda, que os objetivos propostos no projeto sejam alcançados, sempre tendo em mente a coletividade e a comunidade acadêmica.

Farão parte do Novo Departamento os seguintes professores, inicialmente lotados no Departamento de Letras Estrangeiras Modernas: Alyanne de Freitas Chacon, Ana Cristina Bezerril Cardoso, Camila Nathália de Oliveira Braga, Cláudia Caminha Lopes Rodrigues, Christiane Maria de Sena Diniz, Daniel Antonio de Sousa Alves, Kátia Ferreira Fraga, Luciane Leipnitz, Marcelo Vanderley Miranda Sá Rangel, Roberto Carlos de Assis, Roberto Vilmar Satur, Rodrigo Esteves de Lima Lopes, Silvia Renata Ribeiro, Tânia Liparini Campos.

Na ocasião da reunião, o Prof. Roberto Assis, chefe do novo departamento, ressaltou o papel relevante e visionário do Departamento de Letras Estrangeiras Modernas, que, dentro do Projeto REUNI, propôs a criação dos cursos de Bacharelado em Tradução e em Línguas Estrangeiras Aplicadas a Negociações Internacionais, cursos estes que passarão a ser atendidos pelo novo departamento. Destacou, ainda, o apoio recebido da Direção do Centro através da Profª Mônica Nóbrega e dos representantes do CCHLA junto ao CONSEPE e ao CONSUNI, Profª Cláudia Cristina do Lago Borges e Prof. Giovanni da Silva de Queiroz, respectivamente.

            O projeto de criação do Departamento de Mediações Interculturais apresentado para apreciação do Conselho de Centro do CCHLA e aos órgãos superiores da UFPB foi fruto de um diálogo iniciado em 2011 no seio do Departamento de Letras Estrangeiras Modernas, onde os professores proponentes estavam lotados. Os motivos que levaram à apresentação da proposta foram administrativos, e principalmente acadêmicos.

Segundo Roberto Assis, a implantação do Programa de Apoio a Planos de Reestruturação e Expansão das Universidades Federais (REUNI) na UFPB teve impactos em suas dimensões administrativa, acadêmica e científica, com a contratação de novos professores e servidores, aquisição de equipamentos e novas construções. Ele expõe que apesar deste Programa ter sido planejado para ser implantado entre 2008 e 2012, a UFPB ainda tem pendências em algumas de suas ações, como o término de obras, reengenharia administrativa ou uma eventual reestruturação acadêmica advinda da oxigenação proporcionada pelo influxo de novos recursos humanos. No âmbito do CCHLA, mais especificamente do Departamento de Letras Estrangeiras Modernas (DLEM), foram criados dois novos cursos de bacharelado (Tradução e Línguas Estrangeiras Aplicadas a Negociações Internacionais), impactando-o administrativa e pedagogicamente com a criação de novas disciplinas e com a chegada de novos professores.

Ao fazer um breve histórico do DLEM, cujo passado remonta à década de 1970, ainda na Faculdade de Filosofia e Letras – FAFI, berço de nascença do departamento, o professor ressaltou sua valiosa contribuição em atividades de ensino, pesquisa e extensão com a ativa participação na formação de professores de inglês, francês e espanhol, ou em programas de pós-graduação em Letras (PPGL) e em Linguística (Proling). Destacou, ainda, a oferta de cursos de extensão de línguas estrangeiras para a comunidade, a aplicação de exames de proficiência para ingresso em cursos de pós-graduação ou as diversas atividades culturais nos moldes do Canta Babel.

Segundo Roberto Assis, se à primeira vista as disciplinas dos novos cursos parecem convergir para afinidades com as disciplinas do DLEM, a prática demonstrou que a formação de bacharéis não reconcilia com a natureza de um departamento de tradição de formação de professores. Mais que uma reestruturação administrativo-burocrática, a criação do Departamento de Mediações Interculturais, ao mesmo tempo que assegura a boa qualidade da formação dos egressos de Letras, promove o avanço de uma área gestada para atender à demanda de alunos que buscam alternativas às licenciaturas em Letras (DANTAS, DOURADO e ASSIS, 2013). Alternativas essas que garantem sua atuação em um mercado promissor de contatos entre culturas por meio de línguas estrangeiras, como é o caso de tradução ou negociações internacionais.

O Novo Departamento estabeleceu como missão desempenhar, com desenvoltura, as atividades previstas na regulamentação da UFPB e incentivar, desenvolver, abrigar e dar suporte aos projetos, programas e atividades de ensino, pesquisa e extensão na área de mediações interculturais. Tem como visão ser reconhecido como um departamento comprometido, dinâmico e atuante, sendo referência na área na UFPB, no Brasil e no exterior. Tem a ética como princípio; a diversidade como valor; a interculturalidade como objetivo; o respeito às diferenças culturais como obstinação; a mediação como caminho; a linguagem, tradução, comunicação e negociação como meio; o estudo da interculturalidade como vocação; a qualidade e efetividades nas atividades desenvolvidas como balizador; a difusão da cultura internacional e suas possibilidades como compromisso; e a formação de profissionais atuantes em mediação multicultural como meta.

 

Fonte: Roberto Assis (Chefe do Departamento de Mediações Interculturais).

Setor de Comunicação do CCHLA.