PROJETO CINEMA FRANCÓFONO EXIBE CLÁSSICO DE JACQUES TATI

Gratuita, a sessão será às 16h da próxima quinta, 6/12, no Cine Aruanda (CCTA), seguida de debate com o crítico paulista José Geraldo Couto e o professor da UFPB Marcel Vieira

Em sua nona sessão, o projeto de extensão “Cinema francófono: estética, poder e relações interculturais” apresenta o filme “Carrossel da Esperança” [Jour de Fête / França, 1949] dirigido por Jacques Tati. A exibição acontece no dia 06 de dezembro (quinta-feira) às 16h, no Cine Aruanda (CCTA/UFPB) e será seguida de debate com José Geraldo Couto (escritor, tradutor e crítico de cinema), Marcel Vieira (professor do Curso de Cinema da UFPB, escritor e roteirista) e mediação de André Dib (jornalista, pesquisador e crítico de cinema).

“Carrossel da Esperança” é o primeiro longa-metragem dirigido e estrelado por Jacques Tati (1907-1982). Nele, Tati observa a chegada do circo e outras atrações – como o cinema, numa pequena comunidade francesa, estabelecendo uma visão crítica e bem humorada sobre as transformações provocadas pela imagem técnica. Premiado no Festival de Veneza, “Carrossel da Esperança” abriu caminho para que ele se tornasse um dos maiores nomes do cinema, assinando filmes como “As férias do Sr. Hulot” (1953), “Meu Tio” (1958) e “Playtime” (1967).

Tendo iniciado no primeiro semestre do ano, o projeto vem se conduzindo em duas frentes interrelacionadas. De um lado as exibições do ciclo de filmes e debates como dispositivo gerador de questionamentos e problematizações; de outro o ciclo de leitura, que acresce discussões teóricas à experiência estética, possibilitando assim caminhos de compreensão da contemporaneidade com base na interface entre estética, poder e interculturalidade. Desde o início o projeto conta com a contribuição de especialistas de diversos campos, entre cineastas, professores, pesquisadores e críticos de cinema. O projeto acaba de ser agraciado com o Prêmio Elo Cidadão 2018, promovido pelo Encontro Nacional de Extensão da UFPB

Realizado pelo Grupo de Estudos em Estética, Técnica e Sociedade (DCS/UFPB) e pelo Departamento de Mediações Interculturais da UFPB, o Projeto de Extensão “Estética, poder e relações interculturais no cinema francófono” acontece em parceria com a Assessoria para Assuntos Internacionais, Idioma sem Fronteiras, Associação Brasileira dos Críticos de Cinema – Abraccine, Cinemateca da França / Embaixada da França / Institut Français e Alliance Française.

AGENDA

Ciclo de filmes e debates “Cinema francófono: estética, poder e relações interculturais no cinema francófono”

Quinta-feira, 6 de dezembro, às 16h, Cine Aruanda (CCTA/UFPB)

JOUR DE FÊTE / Carrossel da Esperança
França, 1949, 76’, pb, 35mm (projeção digital)
Direção: Jacques Tati
Sinopse: Tudo está calmo numa aldeia da França central, quando chega o parque de diversões e seus reboques. A festa acontece: carrossel, loteria, fanfarra e um cinema itinerante onde François, o carteiro, descobre um filme sobre os correios na América. Cobrado por toda a aldeia, ele passa a trabalhar ao “estilo americano”. Jacques Tati estabelece uma visão crítica e bem humorada sobre o poder da imagem técnica sobre as culturas tradicionais.

Debatedores:

José Geraldo Couto é jornalista, tradutor e crítico de cinema. Formado em história e em jornalismo pela Universidade de São Paulo, trabalhou por mais de vinte anos na Folha de S. Paulo e por três na revista Set. Autor dos livros “André Breton” (Brasiliense), “Brasil: Anos 60” (Ática), “Futebol brasileiro hoje” (Publifolha) e “Florianópolis” (Publifolha), organizou o volume “Quatro autores em busca do Brasil” (Rocco) e participou com artigos e ensaios dos livros “O cinema dos anos 80” (Brasiliense), “Folha conta 100 anos de cinema” (Imago), “Documentário brasileiro – 100 filmes essenciais” (Letramento/Abraccine/ Canal Brasil) e “Os filmes que sonhamos” (Lume), entre outros. Sócio fundador da Associação Brasileira de Críticos de Cinema (Abraccine), ministra cursos livres ligados à história do cinema e mantém uma coluna de cinema no blog do Instituto Moreira Salles.

Marcel Vieira – é formado em Jornalismo pela UFPB, Mestre e Doutor em Comunicação pela Universidade Federal Fluminense. Hoje docente da UFPB, leciona no curso de Cinema e Audiovisual e no Programa de Pós-graduação em Comunicação. Além disso, coordena o LENA – Laboratório de Estudos em Narrativas Audiovisuais e o GRUFICS – Grupo de Produção e Pesquisa em Ficção Seriada. É autor de Adaptação Intercultural: o caso de Shakespeare no cinema brasileiro (Edufba, 2013), prêmio de melhor tese do ano pela COMPÓS, e de Camaradas (Editora Patuá, 2018), seu primeiro romance. Atualmente, desenvolve o roteiro de Intermares, série dramática financiada pela ANCINE/FSA, e está em fase de pré-produção de Fúria, seu primeiro longa-metragem, vencedor do Prêmio Walfredo Rodrigues 2016/17. Publicou contos e poemas no Correio das Artes e nas revistas Continente e Subversa.

Mais informações: gets.dcsufpb@gmail.com (83) 99609-3282