Universidade Federal da Paraíba

Coordenação de Graduação em Ciências Sociais

A CAOS nasceu de um projeto da disciplina Sociologia da Religião, ministrada pelo professor Adriano de León no período 99.1.

O empenho da turma na disciplina incentivou-me a transformar a avaliação, uma atividade tão desgastante para alunos e professores, numa verdadeira produção acadêmica, capaz de gerar bons frutos para ambas as partes.

O que mais me impressiona ao longo da minha carreira acadêmica é a nossa incapacidade de atribuir um valor real ao aluno quando do processo de avaliação. Os pesos numéricos das notas é sempre motivo de discussão, muitas vezes até de estremecimentos no processo de ensino-aprendizado. Mesmo acreditando avaliar bem os nossos alunos, os trabalhos que os mesmos têm feito ao longo do curso geralmente são esquecidos n'alguma gaveta, cujo destino final é o lixo. Até mesmo os trabalhos de avaliação em forma de monografia, pequenas dissertações, textos, enfim, quando entregues à academia, seguem mofando nas bibliotecas até um dia serem catalogados.

Precisamos agora ter estes exemplares à disposição da comunidade acadêmica. Para isto nasceu a CAOS.

Este primeiro número é composto de artigos ligados ao debate religioso. Como número zero, há esta temática a ser seguida, o que não impede que os números subsequentes sejam organizados de outra maneira.

Contando com a generosidade e a intelectualidade dos nossos alunos, a Revista de Ciências Sociais CAOS, foi possível.

Gostaria de explicar porque esta é uma publicação eletrônica. O motivo é simples: é um meio barato de divulgação científica, permite um acesso ilimitado tanto para a comunidade acadêmica quanto para a comunidade em geral, além de poder ser atualizada com freqüência. Agências de fomento e controle acadêmico como CAPES e CNPq já aceitam os trabalhos publicados em rede como trabalhos pontuados no currículo. Quanto ao acesso à internet, o que alguns diziam ser um acesso restrito passou a ser um acesso de grandes proporções pela democratização dos meios informacionais, a exemplo do Laboratório CHIP do CCHLA.

Acredito no sucesso da CAOS, cujo nome suscita, entre outras coisas, a fé na dinâmica da natureza e na complexidade da mente humana.