Home

Sobre o Curso – informações gerais

As aulas acontecem semanalmente.
No semestre corrente, temos turmas no horário da tarde, de 15h a 17h (nas sextas-feiras) e no horário da noite, de 19h a 21h (nas quartas-feiras e quintas-feiras). Para conferir nosso calendário, acesse aqui.
O curso completo é composto por 6 módulos, cada um correspondente a um semestre letivo, de 45h/aula. O curso inteiro soma 270h/aula. Para conferir nossa ementa e os conteúdos, acesse aqui.
O curso é completamente gratuito, completamente presencial e as inscrições são exclusivamente online, em períodos específicos, através desse link aqui.

Por que estudar LIBRAS?

Postos de saúde, escolas, hospitais, shoppings, universidades… A comunidade surda vem ganhando cada vez mais espaço na sociedade, e é comum encontrarmos algum surdo em nossos ambientes de estudo, trabalho ou lazer. Muitas vezes, principalmente quando desatentos, nem percebemos que é um surdo que está ao nosso lado no ônibus, em nossa frente olhando uma roupa em uma loja, próximo a nós aguardando atendimento médico. Isso se deve principalmente porque a aparência física de um surdo, apesar de muitos não se atentarem a isso, em nada se difere da dos ouvintes. Mas quando surge a necessidade da comunicação, percebe-se quão distantes são os dois mundos. Conseguir descrever a dor que se sente, estudar e alfabetizar-se, comprar uma roupa, fazer um pedido num restaurante podem se tornar atividades estressantes tanto para o surdo quanto para o ouvinte quando não conseguem se comunicar de forma eficiente.

A relação língua de sinais e surdez tem sido debatia há séculos, porém, nos últimos anos ela tem adquirido força e gradualmente vem sendo aceita pela sociedade. Esse resultado é proveniente da luta da comunidade surda ora realizada por meio de resistência, ora por meio de protestos. Enfim, reconhecer a diferença do surdo e o direito de uso de língua própria é a forma mais justa para com eles. No entanto, as adaptações das instituições ainda se encontram em andamento, por isso, não estão adaptadas o suficiente para atender à demanda de capacitação de profissionais e de inclusão do surdo nos diversos setores sociais.

Como medida de proteção e atenção às pessoas surdas, especialmente usuárias de língua de sinais, a lei n° 10.436, de 24 de abril de 2002 que reconhece a Língua Brasileira de Sinais – Libras como meio de comunicação, e foi implementada e regulamentada pelo Decreto 5.626, de 22 de dezembro de 2005. Este decreto, a ação legislativa mais eficaz, se trata de medidas para atendimento das necessidades específicas da pessoa surda, especialmente na área educacional. É a partir dele que surge a necessidade de adaptação curricular por parte das instituições responsáveis pelo ensino superior, visto que qualquer profissional está sujeito à convivência com surdos. Este decreto estabelece a Libras como disciplina obrigatória para todos os cursos de Licenciatura e Fonoaudiologia, e como disciplina optativa em todos os outros cursos de formação superior.

Estudar Libras envolve mais do que aprender uma língua. Abarca a responsabilidade de instruir futuros professores sobre as questões políticas, didático-pedagógicas, linguísticas e, sobretudo, humanas acerca da pessoa surda. Dessa forma, as aulas possuem diversos focos, visando formar profissionais capazes de contribuir com a inclusão social, especificamente da pessoa surda, através do seu conhecimento sobre a língua, cultura, identidade e educação dos surdos. Uma formação voltada para o respeito a esses sujeitos com cultura linguística diferente da cultura majoritária e para a compreensão da necessidade do domínio dos recursos didáticos para o ensino de sua língua objeto.

Como estudar Libras?

A melhor forma de estudar qualquer língua é manter o máximo de contato possível, exercitando e praticando sempre. Com a LIBRAS não é diferente. O estudante ideal é aquele que busca o contato contínuo com a comunidade surda para aprender não só a língua, mas toda a cultura em torno da comunidade.

As aulas são um grande motivador, e a metodologia empregada estimula os alunos a procurarem outros meios de praticarem fora de sala de aula, favorecendo o aprendizado. Ferramentas disponíveis na internet e a grande quantidade de usuários de LIBRAS na comunidade ouvinte são catalisadores do processo de aprendizagem de LIBRAS.

Os materiais encontrados na internet, quando bem orientados, são as melhores ferramentas didáticas para o aprendizado da LIBRAS. Hoje, dispõe-se de plataformas on line, dicionários, vídeos com terminologias específicas, canais específicos no youtube e outras redes sociais, a TV INES, tudo produzido com o intuito de divulgar cada vez mais conhecimentos e métodos para o aprendizado da LIBRAS.

Metodologia das aulas

As aulas de LIBRAS priorizam o visual. Todas as aulas são realizadas por meio de atividades e recursos que proporcionem a compreensão visual do aluno e o desenvolvimento de sua expressão em LIBRAS. Por isso, os jogos didáticos, teatros, mímicas, imagens ganham um novo sentido nestas aulas. São um método que induzem o aprendizado do aluno.

Perfil do aluno ingressante

Cada módulo se estende por um período de um semestre. O aluno ingressante não precisa ter conhecimento em LIBRAS, porém deve estar aberto para aprender sobre uma nova cultura e para abraçar também a causa das pessoas com deficiência, no caso, mais especificamente, os surdos.

Perfil do aluno concluinte

O foco do curso é comunicativo. A organização deste cronograma não é para formar tradutores e intérpretes, apesar de, legalmente, servir como base para tais atividades.