Carla Lynn Reichman

Email para contato: carla.reichmann@academico.ufpb.br

link para o Lattes:  http://lattes.cnpq.br/4704905649078465

1) Pesquisadora do grupo de pesquisa CNPq Letramento do Professor

http://dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/8169

 2) Membro do GT Formação de Educadores na Linguística Aplicada (ANPOLL)

https://anpoll.org.br/gt/formacao-de-educadores-na-linguistica-aplicada/

PROJETO: Letras e letramentos: um estudo sobre escrita situada, formação e trabalho do professor de línguas (fase 2)

Descrição: O presente projeto de pesquisa tem como objetivo geral problematizar práticas de letramento e identidade de estagiários e extensionistas na licenciatura em Letras Estrangeiras na Universidade Federal da Paraíba, a fim de investigar a construção de voz autoral em textos empíricos. Alinhando-se a políticas públicas voltadas para a educação básica e formação docente, tal como proposto nas Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação Inicial e Continuada, em Nível Superior (BRASIL, 2015), esta proposta articula a graduação e pós-graduação, pesquisa e extensão, fortalecendo o trabalho coletivo e ético no âmbito da formação inicial em Letras, especialmente na licenciatura em língua inglesa, meu contexto primordial de atuação. Constituindo-se como uma pesquisa qualitativa de cunho interpretativista (DENZIN e LINCOLN, 2006) e destacando a importância crucial de vivências na escola-campo no âmbito da licenciatura, o projeto adota uma orientação teórico-metodológica fundada nos Estudos do Letramento (STREET,2003; BARTON et al, 2000; KLEIMAN, 1995, 2008; KLEIMAN e ASSIS 2016), no Interacionismo Sociodiscursivo (BRONCKART, 1999, 2006, 2008; MACHADO, 2004) e nas Ciências do Trabalho (AMIGUES, 2004; CLOT, [1999]2007, 2012), ancorado no dialogismo. Estima-se uma geração de dados abarcando textos empíricos produzidos por aproximadamente vinte atores sociais vinculados à licenciatura, em especial, (i) ao estágio supervisionado,como também (ii) ao projeto de extensão Letra em Transe, a fim de analisar o que sinaliza o agir linguageiro inscrito nos referidos textos, em termos de construção de voz e identidade. Enfim, situada na área de Línguas Estrangeiras Modernas e levando em conta as perspectivas da escrita como elemento de formação identitária e do ensino como trabalho, a proposta visa impulsionar ações e reflexões sobre o trabalho do professor de línguas, fortalecer a educação inclusiva, consolidar colaborações acadêmicas inter/nacionais e revitalizar parcerias universidade-escola.