Fábio Alexandre Silva Bezerra

Lattes: http://lattes.cnpq.br/2658982050582888

E-mail:  fabes10@yahoo.com.br

Grupo de Pesquisa: Grupo de Estudo em Letramentos, Interação e Trabalho (GELIT) – http://dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/6476743463961327

Site do GELIT: https://sites.google.com/site/gelitufpb

PROJETO: MULTIMODALIDADE, MULTILETRAMENTOS E FORMAÇÃO DOCENTE: MULTIPLICIDADE SEMIÓTICA, CULTURAL E IDENTITÁRIA

O presente projeto visa o desenvolvimento de pesquisas que abordem a relação entre identidades e práticas de multiletramentos em geral na sociedade contemporânea, com especial atenção para o contexto de formação docente. Nesse contexto, a crescente diversidade de gêneros textuais, de recursos tecnológicos, de práticas textuais, de configurações textuais e de experiências multiculturais que precisam fazer parte do fazer docente contemporâneo apresenta um importante desafio: o da promoção de práticas de leitura e de escrita multimodais que permitam o exercício do senso crítico a partir da articulação de recursos semióticos variados, tais como imagens, gráficos, fotos, música, para construir representações da realidade, visto que “o uso de signos visuais não é neutro, ao contrário, trata da definição da realidade social” (MACHIN, 2007, p. xiv). Objetiva-se, dessa maneira, contribuir para o letramento crítico em geral, bem como para a formação de professores que sejam capazes de ler e produzir textos multimodais a partir de uma postura reflexiva e ética (MILLER, 2013), capacitando-os, assim, a desenvolver práticas de multiletramentos em sala de aula que possibilitem o desenvolvimento de tal competência (ROYCE, 2007; HEBERLE, 2010) também em seus alunos. Para a consecução desses objetivos, este projeto encontra suporte teórico nos estudos em multimodalidade e multiletramentos (JEWITT, 2011; JEWITT; KRESS, 2008; KALANTZIS; COPE, 2005; KRESS, 2003; KRESS; VAN LEEUWEN, 2006; NEW LONDON GROUP, 2000; ROJO, 2009, 2012, 2013), em análise crítica do discurso (CHOULIARAKI; FAIRCLOUGH, 1999; FAIRCLOUGH, 2015[1989]; FAIRCLOUGH; WODAK, 1999; VAN DIJK, 1997), em formação docente (CORACINI; CARMAGNANI, 2014; MEDRADO, 2014; MEDRADO; REICHMANN, 2012), bem como em questões identitárias (BAUMAN, 2001, 2004; BUTLER, 1990, 1993; HALL, 2014; ; KELLNER, 2003; LOURO, 2014; MOITA LOPES, 2006).