Dissertações

O GÊNERO CANTIGA DE NINAR: DO MUNDO OUVINTE AO MUNDO SURDO

RESUMO

 
Esta investigação propõe-se analisar o gênero cantiga de ninar, em mulheres ouvintes e mulheres surdas, considerando as suas vozes, os seus corpos, as suas performances, as suas canções e os seus desdobramentos. Como suporte teórico, apóia-se em  três perspectivas centrais: na lingüística, diante da oralidade, os princípios de Zumthor e quanto às cantigas de ninar, os fundamentos de Leite de Vasconcelos; e ainda a sócio-antropológica como política da diferença da surdez, com Skliar. Além desta tríade, conta com contribuições relativas aos estudos de gênero com Bakhtin e Schneuwly; da psicanálise de base freudiana e lacaniana, com Jorge; e, por último, apóia-se nos estudos etnolingüísticos de Castro. O estudo consta da análise da canção de domínio público Neném quer dormir, de influências portuguesa e africana, em performance com duas mulheres ouvintes e suas variantes; a performance do ninar autêntico de duas mulheres identitariamente surdas; e as considerações de uma filha ouvinte de pais surdos acerca da sua experiência como acalantada por cantigas de ninar surdas. Para isto, defendem-se como hipóteses aspectos divergentes e aspectos convergentes das cantigas de ninar de mulheres ouvintes e de mulheres surdas, do ponto de vista lingüístico. Este estudo aponta na direção da possibilidade de um maior conhecimento do gênero cantiga de ninar na perspectiva da oralidade, como também descortinar o universo do acalantar pertinentes ao mundo surdo. Não há a pretensão de exaustão do tema, mas de trazer contribuições para o mesmo, quiçá, ampliando o interesse por profissionais  da lingüística e das áreas afins.
Palavras-chave: Lingüística. Oralidade. Cantigas de ninar. Surdos/ouvintes.