Você está aqui: Página Inicial > Contents > Notícias > CNPq concede Bolsa de Produtividade ao Prof. Marcos Alan Ferreira
conteúdo

Notícias

CNPq concede Bolsa de Produtividade ao Prof. Marcos Alan Ferreira

publicado: 27/03/2020 21h22, última modificação: 27/03/2020 21h22

Mesmo em um contexto de escassez de bolsas de pesquisa, o CNPq reconheceu a qualidade do corpo docente do PPGCPRI ao conceder Bolsa de Produtividade (nível 2) ao prof. Marcos Alan S. V. Ferreira. A concessão da bolsa evidencia a relevância e o potencial de internacionalização de sua pesquisa no âmbito dos Estudos para a Paz. 

Destaque-se que a agenda de pesquisa do prof. Marcos foi iniciada em 2013, com financiamento do CNPq via Edital Universal 14/2013, da pesquisa intitulada “O desafio da paz na América do Sul: as perspectivas de entidades de análise de conflitos e a atuação da UNASUL frente aos litígios potenciais”, e que contou com apoio institucional da Universidade de Uppsala (Suécia) - Departamento de Estudos de Paz e Conflitos. Posteriormente, os resultados daquela pesquisa se desdobraram em um novo projeto: “Challenges for Peace in democratic societies: Public security, crime and violence in South America”, em colaboração com Oliver Richmond (Universidade de Manchester) e financiado pela British Academy até setembro de 2019.

Confira o resumo do projeto de pesquisa abaixo:

TÍTULO: Atores não-estatais violentos como desafios à paz sul-americana: uma análise comparada do Primeiro Comando da Capital e da Família do Norte

RESUMO: O presente projeto tem por objetivo explorar e analisar a atuação transnacional de dois atores não-estatais violentos surgidos no contexto carcerário brasileiro. Em específico, o foco será no PCC (Primeiro Comando da Capital) e FDN (Família do Norte). A pesquisa cobrirá o período que vai de 2006 a 2020 e terá como metodologia a análise de conteúdo fundamentada em fontes documentais do governo e entrevistas com oficiais do setor de segurança pública. Em sua fundamentação teórico-conceitual, o projeto é calcado nos Estudos de Paz e seu conceito de violência como núcleo analítico, assim como na conceituação de atores não-estatais violentos.