NOTA DE PESAR PELO FALECIMENTO DO PROF. DANILO ZOLO

Danilo Zolo (Rijeka, 1936 – Firenze, 2018)

No dia 15 de agosto de 2018, na sua casa em Florença, faleceu Danilo Zolo, um dos mais expressivos filósofos italianos do direito, da política e das relações internacionais. Formado em Direito (1961), em História e Filosofia (1966) pela Universidade de Florença, ensinou nas Universidades de Siena e Sassari e foi professor de Filosofia do Direito e Filosofia do Direito Internacional do Departamento de Teoria e História do Direito da Faculdade de Jurisprudência da Universidade de Florença, Itália. Foi Visiting Fellow nas Universidades de Cambridge, Pittsburgh, Harvard e Princeton. Em 1993, foi Jemolo Fellow no Centro de Estudos europeus do Nuffield College de Oxford, e membro da Academia Europaea. Ministrou cursos em várias universidades latino-americanas: em Brasil (UFPB, USP e UNICAMP), Argentina, Colômbia e México. Foi professor visitante da Universidade Federal da Paraíba em várias oportunidades, desde o ano de 2000 até 2009.

Em 2000, fundou e coordenou por muitos anos o Jura Gentium. Center for Philosophy of International Law and Global Politics (http://www.juragentium.eu/jg/home.html). Entre os anos de 2000 e 2009 esteve na Universidade Federal da Paraíba a convite do CCJ e da Comissão de Direitos Humanos e do Núcleo de Cidadania e Direitos Humanos do CCHLA, ministrando cursos, participando de eventos e promovendo iniciativas de intercâmbio. Junto com o prof. Emílio Santoro promoveu o projeto ALFA da União Europeia intitulado “Human Rights facing Security”, que permitiu o intercâmbio de alunos e professores entre a UFPB e as universidades de Florença, Itália e Minho, Portugal. Participou de vários Seminários Internacionais de Direitos Humanos da UFPB, encerrando a sua colaboração presencial em 2009 com o VI SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE DIREITOS HUMANOS sobre o tema: “Norberto Bobbio: Democracia, Direitos Humanos, guerra e paz”, dedicado a comemorar os 100 anos do nascimento do filósofo italiano do direito e da política, com o qual o prof. Zolo manteve uma longa e intensa colaboração.   

Pelos seus relevantes serviços prestado à UFPB, Danilo Zolo recebeu em 2006 o título de Doctor honoris causa pela UFPB, tendo reconhecida sua militância acadêmico-científica e política em prol de temas como realismo político, democracia, liberdade, paz universal e direitos humanos, manifestando-se sempre em prol um tipo de pluriversalismo tolerante e inclusivo.

Foi autor de vários ensaios relativos à filosofia política, epistemologia das ciências sociais, Teoria Geral dos Sistemas, Teorias da complexidade social, e filosofia do direito internacional e das relações internacionais.

Deixa vastíssima obra, entre as quais, podem ser mencionadas: La teoria comunista dell’estinzione dello stato (1974); Stato socialista e libertà borghesi (1976); Complessità e democrazia. Per una ricostruzione della teoria democratica (1987); La democrazia difficile (1989); Il principato democratico. Per una teoria realista della democrazia (1992); Cosmopolis. La prospettiva del governo mondiale (1995); I signori della pace. Una critica del globalismo giuridico (1998); Lo Stato di diritto. Storia, teoria, critica (2002); Globalizzazione: una mappa dei problemi (2004); Mediterraneo. Un dialogo fra le due sponde (2005); Da cittadini a sudditi. La cittadinanza política vanificata (2007); L´alito della libertà. Su Bobbio (2008); Victors’ Justice: From Nuremberg to Baghdad (2009); Sulla paura. Fragilità, aggressività, potere (2011).

No Brasil foram publicados: O Estado de Direito: história, teoria e crítica (2006), livro organizado junto com Pietro Costa; Globalização: Um mapa dos problemas, 2010; Rumo ao ocaso global? Os direitos humanos, o medo e a guerra (2011), livro organizado por Maria Luiza Alencar e Giuseppe Tosi e que contém uma longa entrevista a Zolo.

Deixa um grande legado intelectual e político e uma imensa saudade em todos os que o conheceram de perto e compartilharam da sua amizade.

A UFPB expressa a sua solidariedade à esposa de toda uma vida Serena Sibani, ao irmão Paolo, aos professores Emílio Santoro e Luca Bacelli e a todos os familiares, alunos e colaboradores da Universidade de Florença e da Revista Jura Gentium.

 

João Pessoa, 18/08/2018

Giuseppe Tosi