Laboratórios

 1 – Projeto Variação Linguística no Estado da Paraíba (VALPB) 

Iniciado em 1993, o Projeto Variação Linguística no Estado da Paraíba se propõe a pesquisar a realidade linguística da comunidade de João Pessoa, tem como objetivos: (a) traçar o perfil linguístico, em nível fonético-fonológico e gramatical dos falantes da comunidade de João Pessoa, observando fatores estruturais, sociais e estilísticos; (b) desenvolver estudos, visando a subsidiar o ensino de Língua Portuguesa em todos os níveis; (c) estabelecer comparações, em nível regional e nacional, com estudos realizados, salientando as divergências dialetais e as semelhanças. A metodogia utilizada na constituição do corpus é a utilizada nos trabalhos de Sociolinguística que ser baseiam na proposta laboviana. O projeto tem buscado intercâmbio com pesquisadores de outras universidades brasileiras, a exemplo da UFBA, UFRJ, UFPE, UFC, PUS-RS, USP, Unicamp, e também de universidades internacionais, entre elas: Universidade Livre de Amsterdam, The City University of New York, Universidade de Tübingen – Alemanha, Universidade de Lisboa.  

Coordenador: Dermeval da Hora 

E-mail: ho_ra@hotmail.com 

 

2 – Laboratório de Aquisição da Fala e da Escrita (LAFE) 

O Laboratório de Aquisição da Fala e da Escrita destina-se a pesquisas voltadas para fala e escrita infantil na faixa etária entre 0 e 5 anos. Seu acervo é composto de corpus de 09 díades mãe-bebê videografadas entre 0 e 3 anos; dados de sala de aula da educação infantil videografados entre 2 e 5 anos. Além de dados crianças com singularidades: mãe-bebê cego; bebê com síndrome de moebius; autistas. O foco das pesquisas se insere no paradigma interacionista da linguagem. 

Coordenadora: Marianne Carvalho Bezerra Cavalcante 

3 – Laboratório Semântico-Pragmático de Textos – LASPRAT 

O Laboratório Semântico-Pragmático de Textos (LASPRAT) - criado e aprovado no DLCV em 27/11/2000 – abriga projetos que tenham como objeto de investigação o funcionamento semântico-discursivo e argumentativo de gêneros textuais/discursivos. O alicerce teórico para as investigações desenvolvidas no laboratório é constituído de teorias semântico-pragmático-discursivas: Máximas Conversacionais, Dêixis, Atos de Fala, Argumentação na Língua, Polifonia, Modalização, entre outras. Salientamos que o LASPRAT também abriga um projeto em que a primeira parte da pesquisa está alicerçada na Teoria da Metáfora Conceptual, sendo a investigação discursiva feita após essa etapa. 

 

Coordenadora: Lucienne C. Espíndola   

Vice-coordenador: Erivaldo Pereira do Nascimento  

Projetos Desenvolvidos no LASPRAT:  

  1. Metáforas/metonímias, gêneros discursivos e argumentação (MGDA) (Coordenadora: Lucienne Espíndola) 

 

  1. Estudos semânticos argumentativos de gêneros do discurso: gêneros acadêmicos e formulaicos (Coordenador: Erivaldo Pereira do nascimento) 

 

 – O Laboratório de Compreensão Neurocognitiva da Linguagem – LACON http://www.cchla.ufpb.br/lacon/ 

 

Reúne pesquisas de cunho teórico, experimental e aplicado que investigam os processos de compreensão e significação da linguagem humana à luz dos pressupostos téorico-metodológicos das Ciências Cognitivas, das Neurociências e da Linguística e que procuram explicar o funcionamento linguistico-cognitivo do processamento semântico por falantes com ou sem patologias de linguagem e memória. 

Coordenador: Jan Edson Rodrigues-Leite 

e-mail: edson123@gmail.com  

 

4 – Sala de estudos linguísticos Prof. José Maria Barbosa 

A sala de estudos lingüísticos “Professor José Maria Barbosa Gomes” resulta do projeto elaborado e encaminhado pela Profa. Dra. Eliane Ferraz Alves, com aprovação pelo CCHLA e pelo DLCV, em julho de 1999. Este local de estudo e de pesquisa, regularmente, é utilizado por professores e por alunos de Letras e de outras graduações da UFPB. Tal espaço tem, portanto, como objetivo geral, colocar à disposição da comunidade universitária, não só todo o acervo que foi doado pela família do Professor José Maria Barbosa Gomes, mas também pesquisas financiadas pelo PIBIC e desenvolvidas neste espaço, estudos e projetos de extensão desenvolvidos com os recursos do PROBEX, estudos que resultaram de atividades de monitoria e exemplares de dissertações e teses defendidas. 

Coordenadora: Maria Cristina de Assis 

 

Destina-se a aprofundar os conhecimentos sobre o processo ensino/aprendizagem do português como língua estrangeira, atuando nas áreas de ensino, pesquisa e extensão, com os seguintes objetivos específicos: promover cursos de Português como Língua estrangeira para estudantes conveniados ou não com a UFPB; oferecer cursos de Literatura Brasileira e Literatura Popular para estudantes conveniados ou não com a UFPB; elaborar material didático para os Cursos promovidos; desenvolver pesquisas voltadas para aspectos do português, para a identidade cultural brasileira e para o processo de ensino/aprendizagem de Português como 
Língua Estrangeira; estabelecer espaços para debates sobre o ensino e a pesquisa de Português como Língua Estrangeira e da cultura brasileira; aplicar o exame para a obtenção do Certificado de Proficiência em Português para Estrangeiros (CELPE-Bras). 

 

Coordenadora: Margarete Von Mühlen Poll
Site: www.cchla.ufpb.br/plei

Email: plei@cchla.ufpb.br 

 

6 – Programa de Apoio ao Ensino de Língua Portuguesa (PAELP) 

O Programa de Apoio ao Ensino da Língua Portuguesa – PAELP – vem desenvolvendo projetos de extensão e de pesquisa visando à melhoria do ensino de língua portuguesa nas escolas públicas do Estado da Paraíba, principalmente, nas do município de João Pessoa. Desenvolve ações como cursos de formação de professores, cursos de pós-graduação latu sensu e acompanhamentos didático– pedagógicos de escolas de ensino médio e de ensino fundamental. Este Programa, constituído como laboratório didático de preparação e aplicação de atividades de extensão foi registrado em 1992 sob o n.º 020701 e  integra as atividades da Pró–Reitoria de Assuntos Comunitários – PRAC/CCCHLA/DLCV. 

 

Coordenadores: Maria de Fátima Almeida e Pedro Farias Francelino  

Emails: falmed@uol.com.br   pedrofrancelino@yahoo.com.br  

 

7 – Laboratório de Estudos da Oralidade da Universidade Federal da Paraíba (LEO/UFPB) 

A proposta de formar um laboratório voltado para estudo das culturas orais surgiu em 1992, devido à documentação resultante de pesquisas financiadas pelo CNPq desde 1988 e pelo Centro de Estudos Afro-Asiáticos/Fundação Ford (1992-1993), quando se iniciou a pesquisa dos cocos. Foram realizados, com a coordenação de Maria Ignez Novais Ayala, vários projetos integrados e individuais com bolsas e auxílios do CNPq desde 1992 (Ver descrição abaixo). Entre 2003 e 2009 esta professora também participou de projetos com apoio de outras instituições (PETROBRAS, IPHAN, BNB) relacionados com seus projetos individuais e coletivos desenvolvidos no LEO/UFPB. Desde 2010, a Profa. Ayala desenvolve o projeto individual de pesquisa financiado pelo CNPq, com bolsa PQ Registros de resistência: a cultura popular tradicional em palavra, som e imagem (segunda fase), (Proc. no. 304033/2009-0). iniciado em 01/03/2010, o projeto dá continuidade ao projeto Registros de resistência: a cultura popular tradicional em palavra, som e imagem (Proc. no. 307306/2006-2), realizado de 01/03/2007 a 28/02/2010.  

 

Coordenadores: Marcos Ayala e Maria Ignez Ayala 

Email: ignez_ayala@uol.com.br  

 

8 – LAPROL – LABORATÓRIO DE PROCESSAMENTO LINGUÍSTICO: processamento co-referencial e morfológico 

O objetivo geral deste projeto é, a partir da consolidação do Laboratório de Processamento Lingüístico (LAPROL) na UFPB, investigar, com base na metodologia utilizada na psicolingüística experimental, o processamento da co-referência estabelecida por variadas formas lingüísticas (por exemplo: pronomes, categorias vazias, SNs repetidos) em posição de sujeito e de objeto, tanto no escopo da sentença (intra-sentencial), quanto no escopo do discurso (inter-sentencial), visando a compreender melhor quais os fatores semânticos e estruturais que atuam no processamento da co-referência e de que maneira ocorre essa atuação, se de forma convergente ou conflitante. Além desse interesse de investigação central que é o processamento da co-referência, queremos também investigar o processamento morfológico no que diz respeito ao acesso lexical de palavras complexas e a interface léxico-semântica. Tanto em relação ao processamento da co-referência, quanto em relação ao processamento morfológico, pretendemos estabelecer uma ponte entre os estudos de processamento lingüístico (psicolingüística) e de patologias e transtornos relacionados à linguagem (fonoaudiologia).  

 

Coordenador: Márcio Martins Leitão